terça-feira, 6 de maio de 2008

Os contos que eu mais ouvia em minha infância: Mogli, o menino lobo e A Bela Adormecida.


A Bela Adormecida
(baseada no conto do francês Charles Perrault)

Narrador: Era uma vez um rei e uma rainha que estavam tristes porque não tinham filhos.Mas numa alegre manhã de primavera
Súditos: - Nasceu a filha do rei, nasceu a princesinha...viva...viva...
Narrador: Tocam-se as trombetas;
Arauto: - Os soberanos deste país, farão organizar uma grande festa, para qual estão convidados, todos os habitantes, das cidades, dos vales, dos bosques, dos rios e dos mares.
Súditos: -Eh! Viva! Ê ê ê!!!!!
Narrador: Mas havia alguém que não participava da alegria geral, era a feiticeira do gatinho...
Bruxa: -Aha! Foi de propósito, que o rei só convidou os habitantes das cidades, dos vales, dos bosques, dos rios e dos mares. Só não convidou os habitantes das montanhas, para eu não ir à festa.
Vira-se para o gatinho. – Malino!
Gatinho: - Miau!
Bruxa: Você irá comigo até o Palácio. Garanto que irão pagar caro por essa ofensa!
Narrador: No Palácio, os reis sem suspeitar do perigo que os ameaçava, receberam a visita de três belas fadas.
Fadas: (as três)- Somos as fadas rosadas, viemos presentes trazer:
(1ª fada) – Eu sou Rosa!
(2ª fada) – Eu sou Rosina!
(3ª fada) – E eu sou Rosicler!
(As três) – Somos as fadas rosadas viemos presentes trazer, serás a nossa afilhada, e mil alegrias vais ter!
Rosa – Com muita felicidade, dou-te bondade e beleza!
Rosina – E eu, dou o dom da verdade e linda voz à princesa!

Narrador: E quando a terceira Fada ia dar o seu presente, houve um clarão no grande salão do Palácio onde todos estavam. Subiu uma fumaça preta, ouviram-se alguns tambores e quem apareceu? A feiticeira e seu gatinho no meio da fumaça, rodopiando com raiva:

Bruxa: - Calma calma um momentinho, também eu quero falar, sou a bruxa do gatinho, meu presente quero dar. No dia em que a princesa, quinze anos completar, no fuso de uma roca, seu dedo vai espetar, e imediatamente, sem vida ela vai ficar!

Narrador: Todos no Palácio começaram a chorar.

Súditos: Choram, soluçam...

Fada Rosicler: – Não chorem, eu peço, não chorem. Esperem que um jeito eu vou dar. Embora o feitiço da bruxa, ninguém consiga tirar. No dia em que a Princesa quinze anos completar, no fuso de uma roca seu dedo vai espetar e imediatamente, os sentidos perderá...mas até que alguém com um beijo, possa lhe despertar!

As três fadas – Somos as fadas rosadas, viemos presentes trazer!
(1ª fada) – Eu sou Rosa!
(2ª fada) – Eu sou Rosina!
(3ª fada) – E eu sou Rosicler!
(As três) – Alegria minha gente, a festa não deve acabar, ainda faltam quinze anos para o feitiço chegar e assim mesmo não sabemos, quanto tempo irá durar, alegria minha gente, a festa não deve acabar!
(1ª fada) – Alegria!
(2ª fada) – alegria!
(3ª fada) – Alegria!
Todos: - Sorriem, dançam...

Narrador: O Rei decretou:
Rei - Quero que todas as rocas do reino sejam queimadas!

Narrador: Os anos foram se passando. A medida que a princesinha ia completando os anos, os cuidados eram dobrados. Todos ficavam atentos a qualquer coisa estranha. As Fadas Rosadas estavam de sobreaviso para qualquer momento se precisassem...

Narrador: Chegou o dia dos quinze anos! Todos muito tensos prestavam o máximo de atenção a todos os passos da Princesinha. Quando ela estava se arrumando para a grande festa, sua dama de companhia foi pegar algo para arrumar o cabelo. A Princesinha ficou só. Avistou então, por um segundo, uma porta que nunca havia prestado atenção. Resolveu dar uma olhada. Viu uma velhinha que estava sentada fazendo algo estranho. A velhinha a cumprimentou:

Bruxa: - Olá Bela menina!
Princesa – Hó! Que está fazendo?
Bruxa: - Estou fiando!
Princesa: - Fiando?
Bruxa: - É! Fiando!
Princesa: - O que é isso?
Bruxa: - Estou transformando este chumaço de lã em um fio, e deste fio pode se fazer um tecido!
Princesa: - Eu nunca havia visto isso antes!
Bruxa: - É porque seu pai proibiu que se fiasse em todo o reino!
Princesa: - Ora, mas por que? Uma coisa tão útil?
Bruxa: - Você quer experimentar?
Princesa – Ó, não não, obrigada!
Narrador: A bruxa inssistiu!
Bruxa: - Venha!
Princesa: Não!
Bruxa: Não demora nada!
Princesa: - Não, não posso!
Bruxa: - Venha, não demora nada!
Princesa: - Ó, está certo!
Narrador: A Princesa então, na hora que foi pegando na agulha da roca, sentiu algo lhe furando o dedo...e...
Princesa(quase gritando) – Ai! espetei meu de...

Narrador: Nem sequer conseguiu dizer o nome todo, caiu totalmente sem vida... Encontraram a Princesinha caída no chão. Foi aquele reboliço, todos correram, choraram. Mandaram chamar imediatamente as Fadas Rosadas, e elas, mais que ligeiro chegaram para cuidar da Princesinha desmaiada, cuidar do povo todo do Castelo.
Fadas: ( Rosa) - Pobre da nossa afilhada! O que é que nós vamos fazer?
Rosina: - Que feiticeira malvada! Ah! Uma idéia acabo de ter! A todos que estão no Palácio, sem exceção de ninguém, faremos com nossos poderes, que fiquem dormindo também. Assim, quando ela acordar, todos despertarão, e o tempo que se passar, eles nem notarão!
Rosicler: - Que idéia maravilhosa! É espetacular! Vamos Rosina e Rosa, temos que trabalhar!
As três fadas! – Com nossos poderes divinos, faremos adormecer, homens, mulheres e meninos e assim, ninguém vai sofrer!

Narrador: As três fadas, tocaram com suas varinhas mágicas em todos que estavam no Palácio. No rei e na rainha, nos empregados, nos animais...e todos adormeceram. A Princesinha adormecida, colocaram ela em sua cama toda bonita e confortável, colocaram bastante espinhos ao redor do Palácio, muitas árvores...para ficar bem escondido e protegido porque ia assim durante muito tempo...

Fadas:
Rosa -Vamos irmãs tão queridas, vamos pra casa voltar, que a Bela Adormecida, não podemos ajudar.

Rosina - Dorme gentil princesinha, não verás o tempo passar, até que um beijo de amor, possa lhe despertar.

Rosicler - E quando acordares linda, todos despertarão, e com alegria infinda, viremos beijar sua mão.

As três - Somos as Fadas Rosadas, tristonhas vamos ficar, mas há de chegar o dia, em que Bela vais despertar, em que bela vais despertar...

Narrador: Passaram-se muitos anos. Um dia, um Príncipe que por ali passava, avistou o Palácio escondido entre enormes espinhos espetantes e se aproximou. Havia um duende guardando o Palácio por ordem das três fadas para que ninguém se aproximasse. O Belo Príncipe então, se aproximou do duende que servia de guarda e perguntou:

Príncipe: É neste Palácio que há cem anos dorme uma linda jovem que foi enfeitiçada por uma bruxa muito má?

Duende: Sim!

Príncipe: Eu quero entrar e conhecer a linda princesa!

Duende; mas como? Olha só quanto espinho! Ninguém nunca conseguiu atravessar tanto espinho. Como você vai conseguir?

Narrador: o Príncipe, pegou sua afiada espada e passou com toda a força nos espinhos e disse:

Príncipe: Assim!

Narrador: Os espinhos caíram todos, deixando livre a entrada para o Palácio. E o Príncipe foi entrando. Viu que todos lá dentro estavam dormindo profundamente, mas quis ir logo ver onde estava dormindo a jovem tão bela. Chegando ao quarto onde se encontrava a Princesa, ele a viu, e viu como era bonita.

Príncipe: Oh! Como é linda!

Narrador: Dizendo isso, o jovem beijou a Princesinha!

Princesa (acordando): Hoó, ó! Quem é você?

Príncipe: Eu sou o Príncipe Celso! Venha comigo, depois eu lhe contarei tudo o que aconteceu.

Narrador: Ele saiu conduzindo a Princesa pelos aposentos. À medida que iam passando as pessoas iam despertando...Ao chegarem onde se encontravam os reis:

Rei (acordando e emocionado): Oh! Ó! Minha filha...

Príncipe: Eu quero aproveitar a oportunidade e pedir a mão da Princesa em casamento!

Narrador: O Rei e a Rainha deram a mão da Princesa em casamento. Estavam todos muito felizes...Mas, a feiticeira do gatinho já estava sabendo de tudo e não estava nada satisfeita.

Bruxa: Com aranha milanesa, e pó de casquinha de ovo. Vou fazer com que a Princesa, fique dormindo de novo. Malino vamos embora, agora é que eles vão ver, vamos montar na vassoura, que um feitiço eu vou fazer!

Narrador: Mas as Fadas Rosadas, também já estavam sabendo de tudo e já haviam tomado as providências. Uma grande tempestade aconteceu, deu um vento e um relâmpago tão forte em cima da bruxa, que ela foi parar muito distante, bem longe em um lugar de onde jamais ela poderá sair. E o Príncipe e sua Bela Adormecida, viveram felizes para sempre!

17 comentários:

Penélope disse...

Quem é que não sabe fazer blog, mesmo??? rs
Beijos mil!

Ritolive disse...

Que bom é ouvir de novo uma história que eu conhecia de cor quando era pequena!
Sabe como posso encontrar a trilha sonora? Muito, muito obrigado!

ericdoolin2001 disse...

Falta no fim.... Oh vento que sopra do norte, que tem tanta força e beleza, vem ajudar a salvar, ai, a nossa bela princesa.
Oh vento que sopra mais forte para ajudar a levar, até lá o polo norte, ai, de onde não possa voltar.... onde é que é possível encontrar a música? Alguma sugestão?

Nina disse...

Olá!!!

Você tem a gravação?

Nossa! Adorava esta história!! Queria colocar para minha sobrinha!

g disse...

Eu também amava essa és outras historias! Alguém tem a gravação?

Gê Cris disse...

EU GOSTARIA DE OUVIR AS MÚSICAS É POSSÍVEL? EU CONTO E CANTO PARA A MINHA FILHA DE 5 ANOS, ELA ADORA CONTOS DE FADAS.

Unknown disse...

Como consigo encontrar a versão gravada! Eu costumava ouvir em LPs, eu tinha um monte de histórias, e queria te-las novamente... poderia me ajudar?
Bjs e obrigada!

anamar disse...

Ao tempo que eu procurava esta história. Em criança uma amiga da minha mãe ofereceu-me um livro que tinha um single com as músicas. Adorava voltar a encontrar. Alguém sabe onde posso encontrar?

Rose Tindole-LER disse...

Queridos amigos, este conto está em minha mente com todos os detalhes do disquinho, inclusive canto as músicas. Mas, infelizmente não tenho a menor ideia onde encontrar, que também é meu desejo. Já pesquisei bastante e, nada. Fico muito feliz em saber que vocês também sentem o mesmo encantamento que eu.
Beijo carinhoso.

Anônimo disse...

Falta a parte:
A medida que se aproximava a data do 15º aniversário da princesinha, os animaizinhos do bosque comentavam:
- Se até o momento que soar a última das doze badaladas a princesa não estiver espetado o dedo no fuso, o perigo terá passado!
- É isso mesmo, amigo coelho, mas até lá todo cuidado é pouco!
- Disse muito bem, amigo esquilo!

Josy disse...

Muito emocionante recordar essa historia que me leva direto pra minha infancia. Alguem sabe o nome da colecao? Quem sabe assim a gente acaba encontrando

Tanita disse...

Também adorava essa colecção, tinha vários e também sei de cor, A Bela Adormecida, A Cinderela e a menina dos sapatinhos vermelhos
Bjs

Tanita disse...

Faltou a música final das fadas a pedirem ajuda ao vento.
- Ó vento que sopra do mar, que tem tanta força e nobreza, vem ajudar a salvar, ai, a nossa bela princesa.
- Ó vento que sopra mais forte pra feiticeira levar até lá ao pólo norte, ai, de onde não possa voltar.
Narrador: O vento atendeu às preces das fadas rosadas e soprou forte, mas tão forte, que a feiticeira foi parar no pólo norte e de lá nunca mais conseguiu saír. Beijos, adorei!

Wilma Vaccari disse...

Quem encontrar a coleção com os livros de conta de fada posta aqui.
Eu me lembro tbm da cinderela. Tinha uma música assim:
Vovó quando eu era criança.
Um dia uma história contou.
Guardada na minha lembrança.
Para sempre ela ficou.
Era uma história tão bela que o tempo não pode apagar.
Seu nome é Cinderela
É é ela que vamos contar!

Wilma Vaccari disse...

Quem encontrar a coleção com os livros de conta de fada posta aqui.
Eu me lembro tbm da cinderela. Tinha uma música assim:
Vovó quando eu era criança.
Um dia uma história contou.
Guardada na minha lembrança.
Para sempre ela ficou.
Era uma história tão bela que o tempo não pode apagar.
Seu nome é Cinderela
É é ela que vamos contar!

Leonardo prata disse...

procurei na coleção disquinho tem todos menos esse

Ana disse...

Continuo a procura do disco/gravacao. Que pena nao ter guardado. Alguem sabe em que ano foi publicado?